Marcelo Maragni - Revista Gol Linhas Aéreas Inteligentes/ Trip Editora

Marcelo Maragni - Revista Gol Linhas Aéreas Inteligentes/ Trip Editora

Anderson Silva está na capa da revista Gol Linhas Aéreas Inteligentes, e falou sobre o amor pelas artes marciais em entrevista para a publicação. Aos 37 anos e invicto há 14 lutas, o lutador de MMA se prepara para a revanche contra o arquirrival no UFC sem esquecer o ensinamento de seu ídolo Bruce Lee: ser como água, moldável ao corpo do oponente. 

JÁ CURTIU A QUEM NO FACEBOOK?

“Vejo a arte marcial como uma arte de defesa e não de ataque. Essa é a lição que aprendi com Bruce Lee, meu grande ídolo. Mas eu também treino muito para estabilizar minha força, para que eu nunca machuque alguém seriamente. Meu maior receio é ferir”, disse. “Nunca treinei artes marciais pensando em trabalho. Eu queria me tornar tão bom quanto os meus professores e, quem sabe um dia, ter uma academia. Minha ideia era passar a filosofia, que foi importante para o meu desenvolvimento como homem e como cidadão. Eu queria ser melhor do que eu era, todos os dias. Ainda quero”.

Ao comentar sobre quando foi boicotado pela própria equipe da academia Chute Boxe em 2001, e ficou fora do mais importante evento internacional de MMA, Anderson Silva disse que pensou em desistir: “Pensei em desistir. Percebi que a filosofia que eu prezava tanto não era tão importante quando o assunto era dinheiro. Lembro-me que o Minotauro falou assim para mim: ‘Não vai parar de lutar coisa nenhuma’. Ele me ajudou a não desistir do meu sonho”.
Marcelo Maragni - Revista Gol Linhas Aéreas Inteligentes/ Trip Editora

Marcelo Maragni - Revista Gol Linhas Aéreas Inteligentes/ Trip Editora

Anderson Silva está na capa da revista Gol Linhas Aéreas Inteligentes, e falou sobre o amor pelas artes marciais em entrevista para a publicação. Aos 37 anos e invicto há 14 lutas, o lutador de MMA se prepara para a revanche contra o arquirrival no UFC sem esquecer o ensinamento de seu ídolo Bruce Lee: ser como água, moldável ao corpo do oponente. 

JÁ CURTIU A QUEM NO FACEBOOK?

“Vejo a arte marcial como uma arte de defesa e não de ataque. Essa é a lição que aprendi com Bruce Lee, meu grande ídolo. Mas eu também treino muito para estabilizar minha força, para que eu nunca machuque alguém seriamente. Meu maior receio é ferir”, disse. “Nunca treinei artes marciais pensando em trabalho. Eu queria me tornar tão bom quanto os meus professores e, quem sabe um dia, ter uma academia. Minha ideia era passar a filosofia, que foi importante para o meu desenvolvimento como homem e como cidadão. Eu queria ser melhor do que eu era, todos os dias. Ainda quero”.

Ao comentar sobre quando foi boicotado pela própria equipe da academia Chute Boxe em 2001, e ficou fora do mais importante evento internacional de MMA, Anderson Silva disse que pensou em desistir: “Pensei em desistir. Percebi que a filosofia que eu prezava tanto não era tão importante quando o assunto era dinheiro. Lembro-me que o Minotauro falou assim para mim: ‘Não vai parar de lutar coisa nenhuma’. Ele me ajudou a não desistir do meu sonho”.