Livre e poderosa, MC Mayara é dona de versos fortes como “mulher de um homem só é mulher sofrida / mulher que tem dois homens é evoluída”. A curitibana é considerada a rainha do eletrofunk, vertente que mistura música eletrônica ao funk carioca e costuma brincar com o duplo sentido nas letras, além de ser um símbolo do empoderamento feminino nessa cena.

“É minha voz como um grito de libertação”, afirma Mayara, que vê algumas melhoras acontecendo no cenário machista do funk. “Hoje não somos mais as ‘cachorras’, como éramos tratadas dentro do funk. Temos atitude pra berrar e falar ‘ô mané, quem manda sou eu’”, diz ela. Apesar disso, Mayara ressalta que a pressão sobre a mulher ainda é maior – o que está longe de ser exclusividade desse meio. “Vejo isso no sertanejo, no pagode, no rock e até na MPB”.

Mc Mayara em show (Créditos: Reprodução/Facebook)

Os padrões estabelecidos pela sociedade são contestados em letras como a de Teoria da Branca de Neve, em que Mayara canta “por que só ter um se eu posso ter sete?”, numa referência à ideia de que o homem pode ter várias relações amorosas, e a mulher não. Mas a cantora diz que já tinha consciência da luta pela igualdade de gênero mesmo antes de ser MC. “Já era a favor [dessa luta], porque acho que todos são iguais no mundo. Quando vi a possibilidade da minha voz dar certo como MC, usei isso a esse favor”.

Mayara também é conhecida por seus clipes de produção lo-fi. O mais polêmico deles foi o de Ela Sabe Rebolar, onde ela aparece grávida dançando. Mas esse conceito trash não existe por acaso. “Muitos não percebem que é tudo intencional, para voltar a atenção para o que estou fazendo, porque pobre, moradora de periferia e sem dinheiro tenho que usar as armas que tenho”, diz a cantora.

MC Mayara

De gosto eclético, Mayara diz que na sua casa ouve de tudo, “menos rock pesado”. Seu top 5 do momento confirma: ele vai da companheira do eletrofunk DZ Mc’s, passa pelo pop de Lana Del Rey, Miley Cyrus e Christina Perri e vai até a rapper Karol Conká.

Mayara está em pleno processo de gravação do seu terceiro álbum, que vai se chamar Fuck Love e deve sair em agosto ou setembro deste ano. Ela também deve soltar três novos clipes em breve: Ai Como eu Tô Bandida 2Lobo Mau e Maldita Cachaça, música feita em parceria com o Bonde do Rolê. Manda mais MC Mayara que tá pouco!

Fonte: ‘Não somos mais cachorras’, diz MC Mayara, ícone do novo funk | Virgula