Entrevista Exclusiva com Natalia Jiménez – Latin Pop BRASIL

Titãs videoclipe Cadáver sobre Cadáver 
15 de julho de 2015
Clima frio e música clássica atraem turistas para Campos do Jordão, SP
15 de julho de 2015

Entrevista Exclusiva com Natalia Jiménez – Latin Pop BRASIL

Uma espanhola de raízes portuguesas e alma mexicana. A origem de Natalia Jiménez é tão polifacética quanto a sua voz, que navega com tranquilidade entre as belas baladas, as canções pop e, sobretudo, rock, a sua grande influência musical. Sem contar a clássica sonoridade do México, que ela jamais abandona.Começamos a conhecer essa madrilenha de 33 anos de idade em meados da década passada, quando La Quinta Estación, que estava a ponto de desaparecer antes de sua chegada, começou a ganhar projeção internacional. E sim, internacional. Porque apesar de espanhol, o grupo precisou cruzar o Oceano Atlântico para conseguir espaço.Se entramos os 2000 conhecendo a Natalia vocalista, viramos a década conhecendo a verdadeira Natalia Jiménez. A dissolução do La Quinta Estación deu espaço a todo um novo lado da cantora, até então oculto pela fachada do grupo. Uma Natalia, muito mais madura, muito mais mais autoral,  muito mais Natalia. Uma da Natalia que cria, agora sozinha, canções memoráveis. Porque é impossível ouvir os singles Creo En Mí e Quédate Con Ella e esquecer.

Em entrevista exclusiva para a equipe do LatinPop Brasil, Natalia Jiménez fala sobre a importância do México no seu desenvolvimento artístico, sobre a sua relação com a cultura lusófona e relembra a transição de vocalista para solista. Ela ainda propõe um dueto com uma das maiores estrelas da música latina no mundo. Para saber quem é, é só continuar lendo.Veja a seguir a entrevista completa – em português e espanhol – com Natalia JiménezLatinPop Brasil: Somos, como você sabe, um site brasileiro e a sua mãe é portuguesa. Qual foi a importância da cultura em português na sua vida pessoal e profissional?Natalia Jiménez: Foi muito importante, porque desde pequena aprendi sobre outra cultura. E musicalmente também foi muito enriquecedor, já que eu tive contato com a música em português.

Também aprendi o idioma (mesmo que seja só um pouquinho!).LP: Somos, como sabes tu, un sitio web brasileño y tu mamá es portuguesa. ¿Cuál fue la importancia de la cultura en portugués en su vida, personal y profesional?NJ: Fue muy importante porque desde pequeña aprendí sobre otra cultura y musicalmente fue muy enriquecedor ya que tuve contacto con la música en portugués. También aprendí el idioma (aunque sea solo un poquito!).LP: A música se fez presente muito cedo na sua vida. O piano, seu irmão te dando um violão, seus tios guitarristas e dançarinos. Qual foi o momento em que a menina Natália decidiu: “quero ser cantora”?NJ: Acho que foi quando eu era muito menina, quando comecei a tocar o teclado que meus pais me deram. Senti a necessidade de cantar para as pessoas e de entreter meus vizinhos da janela do meu quarto! Quando eu fiz 17 anos, ganhei um concurso de música e isso foi o que me fez acreditar no meu dom e seguir adiante com meus estudos de música.LP: La música se ha notado desde muy temprano en su vida. El piano, su hermano te enseñado na guitarra, sus tíos guitarristas y bailaores. ¿Cuál fue el momento que la niña Natalia ha decidido: quiero ser cantante?NJ: Creo que fue cuando era muy niña, cuando empece a tocar el teclado que me regalaron mis papás. Sentí la necesidad de cantar para la gente y de entretener a los vecinos desde la ventana de mi habitación! Cuando cumplí 17 años gane un concursode música y eso fue lo que me hizo creen en mi don y seguir adelante con mis estudios de música.LP: Você é espanhola, mas seu primeiro disco, com o La Quinta Estación, foi gravado no México e lançado na América Latina antes do que no seu país. Porque esse afastamento?NJ: O México foi o primeiro país que se interessou pela nossa música. Batemos em muitas portas na Espanha e não recebemos nenhuma oferta discográfica. Mas anos depois voltamos com muitíssimo sucesso de vendas e viajamos todo o país em turnê.LP: Eres española, pero tu primer disco, con la Quinta Estación, se ha grabado en México y se os ha lanzado antes en Latinoamérica que en su país. ¿Por qué hubo este alejamiento? ¿Por qué no lanzarse primero en casa?NJ: México fue el primer país que se interesó por nuestra música. Tocamos muchas puertas en España y no recibimos ninguna oferta discográfica. Pero años después volvimos con muchísimo éxito en ventas y viajamos por todo el país de gira. LP: A sua relação com o México é muito forte desde então. Fale um pouco sobre a sua relação com os mexicanos e a cultura mexicana.NJ:  Eu amo o México. Ele é um país que para conhecer e amar, você tem que viver ali. Eu tive a sorte de viver 8 anos lá e são anos inesquecíveis. Conheço toda a República Mexicana, sua comida, seus costumes, e a verdade é que eu sempre me senti mais mexicana do que espanhola.LP: Tú relación con México es muy fuerte desde entonces.  Háblanos un poco de tu relación con relación con los mejicanos e la cultura mejicana.NJ: Me encanta México,es un país que para conocerlo y amarlo tienes que vivir en el. Yo tuve la fortuna de vivir 8 años allá y serán años inolvidables. Conozco toda la República mexicana

Fonte: Entrevista Exclusiva com Natalia Jiménez