Acorde

Definição de acorde

A maioria das bibliografias define “acorde” como a união de três ou mais notas tocadas simultaneamente. Há inúmeras combinações possíveis de se fazer com notas, resultando nos mais diversos acordes. Então, para facilitar a vida dos músicos, cada acorde recebe um nome.

Esse nome é baseado nas notas fundamentais que conhecemos (dó, ré, mi, fá, sol, lá, si).

Acordes naturais

Antes de aprender como se dá nome aos acordes, é importante saber que alguns acordes recebem o mesmo nome das notas (dó, ré, mi, fá, sol, lá, si). São os chamados acordes naturais. Cada um desses acordes é formado por três notas. E existe uma regrinha para descobrir quem são essas três notas.

As notas que formam os acordes naturais são o primeiro, o terceiro e o quinto graus de suas respectivas escalas. Mais adiante, iremos aplicar essa regra na prática, para facilitar a visualização.

Antes disso, vale a pena saber que um acorde pode ser maior, menor ou suspenso. Essas nomenclaturas estão relacionadas com o terceiro grau.

Acorde maior

Para formar os acordes maiores, você usa o terceiro grau maior.

Acorde menor

Para formar os acordes menores, você usa o terceiro grau menor.

Acorde suspenso

Quando o acorde não possui o terceiro grau, ele não pode ser classificado como maior, nem como menor, recebendo o nome de “suspenso.

Os símbolos utilizados são os seguintes: “m” para dizer que o acorde é menor e “sus” para dizer que o acorde é suspenso.

Quando não houver nenhum desses símbolos, significa que o acorde é maior. Veja os exemplos abaixo, utilizando o acorde de dó:

acorde

Já o quinto grau, em ambos os casos (acordes maiores ou menores naturais), é a quinta justa.

Bom, agora que já aprendemos as regras, vamos formar acordes utilizando esses conceitos. Pense num acorde que você quer formar. Por exemplo, Dó maior.

Primeiro grau: Dó

Terceiro grau maior: Mi

Quinto grau (quinta justa): Sol

Portanto, o acorde de Dó maior é formado pelas notas Dó, Mi e Sol. Basta que você aperte (ou deixe soar) essas notas no seu instrumento que você terá o acorde de Dó maior.

Vamos formar agora o acorde de Fá menor:

Primeiro grau: Fá

Terceiro grau menor: Lá bemol

Quinta justa: Dó

Portanto, o acorde de Fá menor é formado pelas notas Fá, Lá bemol e Dó.

É assim que se forma um acorde. Nos próximos artigos, veremos mais detalhes sobre os tipos de acordes que podemos montar, além dos acordes naturais básicos que já mostramos, introduzindo o conceito de tríades e tétrades.

Nosso objetivo é fazer com que você saiba como montar qualquer acorde, mesmo que ele seja difícil ou cheio de extensões, sem precisar recorrer a um dicionário de acordes.


Oitavas

O que são oitavas?

Provavelmente você já ouviu falar os termos “uma oitava acima” ou “uma oitava abaixo”. Mas o que significa isso?

Dizer que uma nota está uma oitava acima significa dizer que a nota é a mesma, porém ela está em uma região mais aguda do instrumento.

Imagine um piano. Nele, as teclas da esquerda são mais graves do que as teclas da direita. Se você for apertando as teclas brancas, partindo de dó, da esquerda para a direita, vai seguir a sequência: dó, ré, mi, fá, sol, lá, si, dó…continuando nesse ciclo até terminarem as teclas do piano.

Como as notas vão ficando mais agudas, fica fácil de perceber que o próximo dó será mais agudo que o anterior. Sempre que se termina um ciclo e a nota volta a ser dó, completa-se uma oitava.

Usamos aqui o exemplo de Dó, mas isso é válido para qualquer nota, desde que se comece e termine na mesma nota. Se partíssemos de Ré, fecharíamos uma oitava quando chegássemos à Ré novamente.

A mesma lógica pode ser aplicada para uma oitava abaixo, onde o som fica mais grave.

Intervalo de uma oitava

Como a música ocidental possui 12 notas (12 semitons), podemos concluir que uma oitava compreende a distância de seis tons. Confira abaixo como em 6 tons retornamos à nota de origem:

oitavas

Apenas a título de curiosidade, os pianos geralmente possuem cerca de 7 oitavas.


O que são tríades?

Quando falamos das três notas que formam os acordes, estamos falando da “tríade” de cada acorde. Esse nome existe para representar as notas básicas que formam um acorde específico.

Na maior parte das vezes, essas notas são o 1º o 3º e o 5º graus, formando assim os acordes naturais, como já vimos no artigo anterior. Nesse caso, podemos ter uma tríade menor ou uma tríade maior.

Porém, podemos ter outras tríades também, formando acordes mais complexos, como por exemplo, uma tríade aumentada, uma tríade diminuta ou uma tríade sus4. Confira abaixo:

Tríade maior

É formada pelos graus: 1º maior, 3º maior e quinta justa.

Tríade menor

É formada pelos graus: 1º maior, 3º menor e quinta justa.

Tríade sus4

É formada pelos graus: 1º maior, quarta justa e quinta justa.

Tríade aumentada

É formada pelos graus: 1º maior, 3º maior e quinta aumentada.

Tríade diminuta

É formada pelos graus: 1º maior, 3º menor e quinta diminuta.


creditos e fonte – Descomplicando musica

Leave a Reply